Você sabe o que é o hipocortisolismo?

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
voce-sabe-o-que-e-o-hipocortisolismo

O hipocortisolismo, também conhecida como doença de Addison ou insuficiência adrenal primária, é uma doença rara.

Nela, as glândulas adrenais não produzem o suficiente dos hormônios cortisol e às vezes aldosterona.

Os sintomas tendem a ir e vir e podem incluir dor abdominal, tontura, fadiga, perda de peso, desejo por sal e escurecimento da pele. 

Durante períodos de estresse extremo ou problemas de saúde, o hipocortisolismo pode desencadear uma queda rápida nos níveis de cortisol e um evento potencialmente fatal conhecido como crise adrenal.

No artigo que preparei abaixo, falo mais sobre essa condição, sintomas e tratamento do hipocortisolismo. Vamos conferir?

O que é o hipocortisolismo?

A causa mais comum do hipocortisolismo é a adrenalite autoimune, um distúrbio no qual o sistema imunológico do corpo ataca inadvertidamente e danifica as células das glândulas supra-renais.

Embora a doença de Addison possa ser diagnosticada com exames de sangue e imagens, ela é extremamente rara, afetando apenas uma em cada 100.000 pessoas.

Dessa forma, o diagnóstico costuma ser adiado até que se desenvolvam manifestações mais sérias da doença. 

Ela não pode ser curada, mas pode ser significativamente melhorada com terapia de reposição hormonal e evitando os gatilhos comuns. 

Se tratada adequadamente, o hipocortisolismo pode ser controlada e você pode ter mais certeza de ter uma vida longa e saudável.

Leia também::: Como deixar o sistema imunológico mais forte

Quais são os principais sintomas?

Os sintomas do hipocortisolismo estão diretamente associados ao grau de comprometimento adrenal. 

Como uma doença progressiva, os sintomas tendem a piorar com o tempo se não forem tratados.

Eles podem começar incidentalmente, com momentos estranhos de dor de estômago e fraqueza. 

Mas, tornam-se cada vez mais aparentes à medida que os ataques reaparecem, especialmente durante momentos de estresse.

Dependendo da causa da deficiência subjacente, os sintomas da doença de podem desenvolver-se lenta e continuamente ou rápida e furiosamente.

A maioria dos sintomas é causada quando uma queda nos níveis de cortisol (hipocortisolismo) desencadeia uma queda associativa na pressão arterial (hipotensão) e no açúcar no sangue (hipoglicemia). 

Outros sintomas estão relacionados à queda da aldosterona, o hormônio responsável pela retenção de sódio. 

Crise Adrenal

A crise adrenal, também conhecida como crise Addisoniana, ocorre quando os níveis de cortisol caem tão rapidamente que causa sintomas graves e potencialmente fatais, incluindo: 

  • Vômitos intensos e / ou diarreia levando à desidratação
  • Dor na parte inferior das costas, pernas ou abdômen
  • Desmaio (síncope)
  • Espasmos musculares
  • Confusão e desorientação
  • Sede extrema e incapacidade de urinar
  • Batimentos cardíacos anormais (arritmia)
  • Paralisia muscular intermitente

Se não for tratada agressivamente com fluidos intravenosos e esteroides, pode ocorrer a morte, na maioria das vezes como resultado de choque hipotensivo ou insuficiência respiratória. 

De acordo com a pesquisa, uma crise adrenal resulta em morte em um em cada 16 casos, na maioria das vezes devido ao tratamento tardio ou inadequado.

Causas principais

O hipocortisolismo é causado por uma falha das glândulas supra-renais. As glândulas adrenais são um dos vários órgãos que compõem o sistema endócrino. 

As glândulas estão situadas no topo de cada rim e são responsáveis ​​pela produção de uma variedade de hormônios, incluindo cortisol, aldosterona e adrenalina. 

O cortisol, frequentemente referido como “hormônio do estresse”, ativa o instinto de “lutar ou fugir” durante uma crise.

Mas também desempenha um papel central na regulação da pressão arterial, açúcar no sangue, inflamação, sono e níveis de energia. 

É produzido em uma parte das glândulas supra-renais conhecida como zona fasciculada.

A aldosterona ajuda a regular o equilíbrio de sódio e potássio no corpo e, ao fazer isso, influencia a pressão arterial, o volume sanguíneo e a retenção de água nas células. 

É produzido em uma parte diferente da glândula conhecida como zona glomerulosa.

Existem várias razões pelas quais as glândulas supra-renais não funcionarão mais como deveriam. 

No hipocortisolismo, a insuficiência adrenal primária é mais frequentemente causada por uma doença ou distúrbio que afeta diretamente o próprio órgão.

De longe, a causa mais comum disso é a adrenalite auto-imune, uma doença na qual o corpo volta suas defesas contra si mesmo e ataca as células das glândulas supra-renais que produzem esteroides. 

Ninguém sabe exatamente por que isso acontece, embora se acredite que a genética desempenhe um papel central.

Leia também::: Benefícios do DHEA para a saúde geral do organismo

Como é feito o diagnóstico e tratamento

O hipocortisolismo é diagnosticado com uma variedade de exames de sangue e imagens usados ​​para confirmar a insuficiência adrenal. 

O diagnóstico é geralmente iniciado com base no aparecimento de sintomas reveladores, como hiperpigmentação, fadiga e ânsias de sal (uma tríade clássica de sintomas adrenais).

Em outros, um exame de sangue de rotina pode revelar anormalidades sugestivas da doença, como episódios recorrentes inexplicáveis ​​de hipoglicemia, hiponatremia e hipocalemia.

Mais comumente, uma crise adrenal será o primeiro sintoma em cerca de 50% dos casos. 

Como um distúrbio caracterizado pelo esgotamento de hormônios essenciais, o hipocortisolismo é tratado principalmente com terapia de reposição hormonal vitalícia. 

Cuide da sua saúde

Graças aos avanços na terapia, as pessoas com hipocortisolismo podem desfrutar de melhor saúde e expectativa de vida quase normal. 

Na verdade, a pesquisa mostra que a expectativa de vida média para pessoas com a doença saltou para 64,8 anos nos homens e 75,7 anos nas mulheres. 

O diagnóstico e o tratamento precoces podem aumentar ainda mais essas taxas. Para isso, é importante consultar um médico se você tiver episódios recorrentes de:

  • fadiga
  • pressão arterial baixa
  • perda de peso
  • desejo por sal 
  • alterações na cor da pele que você simplesmente não consegue explicar

Uma crise adrenal não precisa ser seu primeiro sintoma! Por isso, é importante que seu médico faça uma avaliação completa para então iniciar o melhor tratamento.

Espero que o artigo lhe seja útil e, para saber mais sobre o hipocortisolismo, confira também o vídeo que preparei para meu canal do Youtube!